Sete exemplos de como a tecnologia pode facilitar a vida do médico

Quando se fala em tecnologia na área médica, logo vem à mente das pessoas as modernas máquinas de cirurgias e diagnósticos. De fato, elas ajudaram a aumentar a expectativa de vida da população mundial nas últimas décadas.

Porém, as soluções tecnológicas para profissionais de saúde não se restringem apenas ao tratamento de pacientes. Existem ferramentas que conseguem otimizar e automatizar a gestão de clínicas e consultórios, deixando o médico livre para fazer aquilo que mais sabe: cuidar das pessoas. Confira sete exemplos de como a tecnologia facilita a medicina em sua parte administrativa:

Informação unificada – com softwares de gestão, é possível reunir em uma única plataforma todas as informações úteis para a clínica, como o histórico de paciente, exames realizados, movimentação financeira, entre outros pontos. A medida agiliza o atendimento e melhora a prestação do serviço.

Prontuário Eletrônico – este recurso simplificou a gestão da saúde. Agora, os profissionais da área não perdem tempo no preenchimento de receitas, exames de pacientes, recibos e quaisquer documentos inerentes ao funcionamento do consultório. Resumindo: grande parte dos processos burocráticos pode ser automatizado.

Gerenciamento de e-mail e agenda – a integração da agenda com a caixa de e-mail do médico possibilita estreitar o relacionamento com os pacientes. O recurso permite enviar desde mensagens de confirmação de consulta até mesmo um e-mail marketing para ocasiões especiais, como aniversário.

Preenchimento de convênios – preencher os documentos das operadoras de planos de saúde era um dos pontos mais complexos da gestão de clínicas. Qualquer informação errada pode fazer com que o convênio não repasse o valor da consulta ao médico. Agora, existem softwares que automatizam esse processo, desburocratizando e reduzindo a chance de erro.

Presença digital – montar um site e expor na web os seus serviços não é exclusivo apenas de empresas do setor de comércio. Atualmente, os médicos podem – e devem – ter uma página de seu consultório na Internet para atraírem novos pacientes e, até mesmo, disponibilizar um agendamento online.

Acesso na palma da mão – antes, em caso de emergência, o médico precisa se deslocar até seu consultório para conferir o histórico de um paciente. Hoje a situação mudou: é possível acessar todos os dados de um simples aplicativo no smartphone.

Visibilidade em portais de busca – a tecnologia amplia o alcance do médico por conta das plataformas de busca. Páginas como o Google se tornaram a porta de entrada dos pacientes mais jovens na hora de pesquisar consultórios. Investir em Adwords e SEO faz com que o profissional apareça nas primeiras posições desse ranking e, assim, conquiste a atenção dos usuários.

Quando o “Doutor Google” é um aliado da medicina

Pesquisas mostram que Internet e tecnologia podem – e devem – ser aliadas de médicos e profissionais de saúde

Medicina Direta oferece prontuário eletrônico completo para otimizar a gestão de consultórios e hospitais

Médicos, hospitais e órgãos reguladores do setor da saúde são unânimes em apontar que a pesquisa do paciente na Internet não pode substituir a consulta com um profissional especializado. Entretanto, apelidado de “Doutor Google” o fenômeno já é uma realidade para o setor e pode até mesmo ser um aliado das clínicas médicas.

A presença na web e o uso de soluções tecnológicas na gestão e relacionamento dos consultórios se transformaram em itens essenciais para médicos que desejam se destacar. Já profissionais receosos com as novas ferramentas e/ou que utilizam sistemas antiquados não são bem vistos pela maioria dos pacientes.

Isso porque a conectividade das pessoas mudou a forma de consumo da informação médica. Levantamento do Google mostra que as buscas referentes a hospitais e clínicas de saúde cresceram 25% nos primeiros quatro meses de 2015 na comparação com o mesmo período do ano anterior. Além disso, 39% da procura é realizada por dispositivos móveis e 99% dos usuários confessaram utilizar a Internet como fonte de pesquisa – bem à frente dos profissionais de saúde.

“Hoje em muitos casos o paciente vai para a consulta com um pré-diagnóstico após pesquisar sobre o tema. O médico precisa saber se relacionar com essa pessoa e isso inclui ter uma presença digital forte e eficaz, com sites e ferramentas que otimizam o relacionamento”, confirma Tiago Delgado, sócio-fundador da Medicina Direta.

A empresa nasceu justamente com a ideia de oferecer esses serviços para médicos e hospitais. Além de desenvolver um site já de acordo com as regras do Conselho Federal de Medicina (CFM) e voltado para os buscadores, a agência criou uma plataforma de prontuário eletrônico que melhora a gestão do consultório, realizando tarefas como preenchimento de fichas de convênios, recibos e até mesmo a realização de pagamentos na mesma lógica de um e-commerce.

Dessa forma, os profissionais da área médica conseguem simplificar a administração dos consultórios, deixando toda a parte burocrática com a solução, e podem focar no que realmente é mais importante: o bom atendimento ao paciente. O relacionamento com as pessoas é a principal ferramenta dos médicos para manter um bom número de clientes e passar pela crise econômica.

Estudo da Phillips apresentado no SXSW 2015 reforça esta tendência. Sete em cada dez pacientes preferem se comunicar com seus provedores de saúde via SMS, e-mail ou até por redes sociais do que ir pessoalmente até à clínica. Além disso, o uso de aparelhos conectados pode reduzir o tempo desperdiçado de sistemas ineficientes em até 50%.

“A Internet e sua influência na medicina é uma realidade para a grande maioria dos pacientes. Os médicos que desejam manter a qualidade no atendimento e ter destaque em sua comunidade precisam aderir à tecnologia o quanto antes e proporcionar uma melhor experiência ao seu público”, conclui Delgado

Sobre Medicina Direta:

Com o objetivo de ser o departamento digital de clínicas e consultórios médicos, a Medicina Direta surgiu em 2013 para oferecer infraestrutura tecnológica adequada e otimizar a gestão da saúde. A empresa disponibiliza o prontuário eletrônico, facilitando a coordenação de agenda, receituário, pagamento e demais processos que envolvem a rotina do profissional do setor. Além disso, a companhia desenvolve sites, gerencia e-mails e cria campanhas no Google Adwords. Para mais informações, acesse: http://www.medicinadireta.com.br

 

5 dicas para organizar a gestão de clínica em 2016

Viajar, estudar e levar uma vida mais saudável são apenas algumas das promessas que as pessoas costumam fazer no início do ano.

Criar uma lista de resoluções com desejos e compromissos já faz parte do imaginário popular, mas pode ser muito útil para médicos em 2016.

Quando o assunto é gestão de clínicas e consultórios, a grande maioria dos profissionais de saúde fica apenas na vontade de melhorar a administração de seus locais de trabalho. Porém, com ajuda da tecnologia, é possível avançar nesta questão. Confira uma lista com dicas para otimizar a gestão em 2016:

1. Use a tecnologia à seu favor: Com o mundo cada vez mais conectado, é imprescindível que o médico também esteja. O prontuário eletrônico já é uma realidade e se transformou na principal ferramenta de gestão para clínicas e consultórios. Afinal, uma mesma solução digital permite, entre outras situações, visualizar o histórico de um paciente, controlar pagamentos e recebimentos e até realizar o agendamento online de consultas.

2. Cuide de seus e-mails: Ninguém gosta de receber e responder muitos e-mails, mas este recurso permite ao profissional de saúde estreitar o relacionamento com seus pacientes e fornecedores, evitando desgaste. O bom gerenciamento do e-mail permite confirmar a consulta com um dia de antecedência e confirmar pedidos e pagamentos.

3. Tenha ferramentas de controle financeiro: Cuidar das finanças é um item básico para qualquer empresa. Porém, médicos não são formados em Administração e acabam escorregando justamente nesta questão: Muitos profissionais nem sabem quanto têm direito a receber de convênios, por exemplo. Aqui, o ideal é recorrer novamente à tecnologia para não se perder nos custos e recebimentos.

4. Otimize o espaço físico: Aproveite o novo ano para dar adeus aos arquivos e papéis acumulados dos últimos anos. O crescimento do cloud computing permite que os médicos virtualizem seus documentos e joguem tudo para a nuvem. Dessa forma, o acesso estará sempre a um clique de qualquer computador com acesso à Internet e o consultório ganha um espaço maior para melhorar o atendimento ao paciente.

5. Integre os profissionais: Por fim, a boa gestão de uma clínica ou consultório passa pela união de todos os profissionais que trabalham no local, como médicos, enfermeiros e secretárias. Com uma comunicação rápida entre todos e a definição clara do papel de cada um, há uma maior sinergia e eficiência no cotidiano.