Quando o “Doutor Google” é um aliado da medicina

Pesquisas mostram que Internet e tecnologia podem – e devem – ser aliadas de médicos e profissionais de saúde

Medicina Direta oferece prontuário eletrônico completo para otimizar a gestão de consultórios e hospitais

Médicos, hospitais e órgãos reguladores do setor da saúde são unânimes em apontar que a pesquisa do paciente na Internet não pode substituir a consulta com um profissional especializado. Entretanto, apelidado de “Doutor Google” o fenômeno já é uma realidade para o setor e pode até mesmo ser um aliado das clínicas médicas.

A presença na web e o uso de soluções tecnológicas na gestão e relacionamento dos consultórios se transformaram em itens essenciais para médicos que desejam se destacar. Já profissionais receosos com as novas ferramentas e/ou que utilizam sistemas antiquados não são bem vistos pela maioria dos pacientes.

Isso porque a conectividade das pessoas mudou a forma de consumo da informação médica. Levantamento do Google mostra que as buscas referentes a hospitais e clínicas de saúde cresceram 25% nos primeiros quatro meses de 2015 na comparação com o mesmo período do ano anterior. Além disso, 39% da procura é realizada por dispositivos móveis e 99% dos usuários confessaram utilizar a Internet como fonte de pesquisa – bem à frente dos profissionais de saúde.

“Hoje em muitos casos o paciente vai para a consulta com um pré-diagnóstico após pesquisar sobre o tema. O médico precisa saber se relacionar com essa pessoa e isso inclui ter uma presença digital forte e eficaz, com sites e ferramentas que otimizam o relacionamento”, confirma Tiago Delgado, sócio-fundador da Medicina Direta.

A empresa nasceu justamente com a ideia de oferecer esses serviços para médicos e hospitais. Além de desenvolver um site já de acordo com as regras do Conselho Federal de Medicina (CFM) e voltado para os buscadores, a agência criou uma plataforma de prontuário eletrônico que melhora a gestão do consultório, realizando tarefas como preenchimento de fichas de convênios, recibos e até mesmo a realização de pagamentos na mesma lógica de um e-commerce.

Dessa forma, os profissionais da área médica conseguem simplificar a administração dos consultórios, deixando toda a parte burocrática com a solução, e podem focar no que realmente é mais importante: o bom atendimento ao paciente. O relacionamento com as pessoas é a principal ferramenta dos médicos para manter um bom número de clientes e passar pela crise econômica.

Estudo da Phillips apresentado no SXSW 2015 reforça esta tendência. Sete em cada dez pacientes preferem se comunicar com seus provedores de saúde via SMS, e-mail ou até por redes sociais do que ir pessoalmente até à clínica. Além disso, o uso de aparelhos conectados pode reduzir o tempo desperdiçado de sistemas ineficientes em até 50%.

“A Internet e sua influência na medicina é uma realidade para a grande maioria dos pacientes. Os médicos que desejam manter a qualidade no atendimento e ter destaque em sua comunidade precisam aderir à tecnologia o quanto antes e proporcionar uma melhor experiência ao seu público”, conclui Delgado

Sobre Medicina Direta:

Com o objetivo de ser o departamento digital de clínicas e consultórios médicos, a Medicina Direta surgiu em 2013 para oferecer infraestrutura tecnológica adequada e otimizar a gestão da saúde. A empresa disponibiliza o prontuário eletrônico, facilitando a coordenação de agenda, receituário, pagamento e demais processos que envolvem a rotina do profissional do setor. Além disso, a companhia desenvolve sites, gerencia e-mails e cria campanhas no Google Adwords. Para mais informações, acesse: http://www.medicinadireta.com.br

 

Dengue, Chikungunya e Zica: gente chorando e vendendo lenço

O antigo provérbio que diz “onde tem gente chorando, tem gente vendendo lenço” até que serve para aludir a bagunça que o mosquitinho consegue fazer na saúde brasileira.

É fato:

  • A saúde pública está desnorteada, sem nenhuma ação efetiva nos âmbitos dos municípios, estados e união, e “o trem que já está lotado não consegue partir porque tem um monte de gente segurando o fechamento das portas”;
  • Na saúde suplementar as operadora33s de planos de saúde ainda não conseguiram assimilar o golpe: cresce a demanda pelas consequências das picadas do mosquito, e eles ainda não conseguem quantificar o quanto isso representa no balanceamento das despesas na sua rede credenciada;
  • E como as moedas “têm cara e coroa”, hospitais que servem a saúde suplementar “estão vendendo lenço para quem está chorando”.

E afloram os 2 principais problemas da saúde no Brasil:

  • Não existe qualquer coordenação das ações da saúde pública e suplementar – é “cada um pra si e Deus pra todos”, como se dizia nas minhas brincadeiras de infância (como “lasca Romeu !”);
  • Os governos, completamente desorientados e sem coordenação, começam a gastar “os tubos” em ações populistas sem qualquer eficácia e efetividade – continuam a tratar a saúde como tratam telefonia celular, empregos … “não cai a ficha” que saúde pública não é plataforma política ou bem de consumo – nenhuma “canetada” vai ajudar de verdade.

O governo federal, por exemplo, acena com ajuda (bolsa mosquito) para pobres que tiverem filhos com microcefalia. Vai dar voto, claro, mas:

  • Esta “mesada” vai compensar 1 % do problema financeiro que estas famílias terão ?
  • E quem não se encaixa como pobre, que se vire ? Se a família ganhar R$ 10 a mais do que a que se encaixa já dá pra se virar sozinha ?
  • Com será a perícia para que a família comece a receber o “bolsa mosquito” ? A mesma que não funciona no INSS para conceder aposentadoria para quem não consegue trabalhar ?

Me desculpe a ignorância: mas estas famílias realmente preferem ganhar a mesada do que ter uma rede assistencial pública minimamente disponível para a dificuldade que terão ? Que mãe e pai são estes que preferem ganhar a bolsa do que ter seu filho bem assistido ?

Nem os governos estaduais, nem os governos municipais, por exemplo, sinalizam com ações coordenadas para atacar o problema na origem: o mosquito. Seria engraçado se não fosse trágico:

  • Eles vêm com a “maior cara de pau” mostrando que estão fiscalizando os criadouros, mas até a divisa da sua jurisdição. Esquecem que o mosquito não precisa de “movimento passe livre” – para ele São Caetano do Sul ou São Paulo é a mesma coisa;
  • Alguns ainda reclamam do governo federal, como se existisse alguma “incubadora no planalto central” espalhando mosquito para o resto do Brasil !

Também me desculpando pela ignorância: quem está coordenando focos de cidades vizinhas de estados diferentes ? Será que estas cidades e seus estados estão esperando que o governo federal faça isso ?

A “lambança” não se restringe à área pública:

  • Tenho um seguro saúde de mais de 10 anos, e nunca recebi da minha operadora uma “reles mensagem instrutiva” sobre o perigo do mosquito, as doenças que ele pode causar – as operadoras são ridículas a ponto de não perceber que se eu não me precaver quem vai pagar a conta é ela ! Ou será que elas vão reivindicar reembolso do SUS já que o governo federal “assume mea culpa” ao conceder o “bolsa mosquito” ?
  • A minha profissão faz com que circule em diversos hospitais privados. Sabe em quantos eu vi uma campanha educativa séria para evitar os riscos com o mosquito ? Eles estão rindo à toa !

Sabe o que sente uma pessoa como eu que está no segmento há tanto tempo, e que teve oportunidade de aprender sobre saúde pública e suplementar com os melhores professores do Brasil, quando ouve que o exército vai ajudar no combate ao mosquito ?

Desânimo !

Não devia comentar para não dar crédito a este tipo de gente, mas uma emissora de TV irresponsável comentou em “tom de crítica” que a FIOCRUZ e o Butantan já deveriam estar produzindo as vacinas. Além do problema, instituições sérias e de credibilidade ainda têm que ouvir este tipo de bobagem: como se fossem culpadas pelo aparecimento das doenças.

Garotos que servem o exército com 18 – 19 anos, sem preparo adequado, segundo instruções (na verdade cumprindo ordens) “sei lá de quem” vão resolver o nosso problema ?

Dengue, Chikungunya e Zica materializam a vergonha que é a saúde no Brasil:

  • Governos sempre na defensiva, justificando sua incapacidade de lidar com saúde, e prometendo coisas absurdas;
  • Caos na saúde suplementar: gente chorando porque o sistema de financiamento está regrado de forma errada, por quem não conhece o sistema e não deveria se meter na lei da oferta e procura … e gente ganhando muito dinheiro às custas da completa desorganização do sistema !

Quando o “Doutor Google” é um aliado da medicina

Pesquisas mostram que Internet e tecnologia podem – e devem – ser aliadas de médicos e profissionais de saúde

Medicina Direta oferece prontuário eletrônico completo para otimizar a gestão de consultórios e hospitais

Médicos, hospitais e órgãos reguladores do setor da saúde são unânimes em apontar que a pesquisa do paciente na Internet não pode substituir a consulta com um profissional especializado. Entretanto, apelidado de “Doutor Google” o fenômeno já é uma realidade para o setor e pode até mesmo ser um aliado das clínicas médicas.

A presença na web e o uso de soluções tecnológicas na gestão e relacionamento dos consultórios se transformaram em itens essenciais para médicos que desejam se destacar. Já profissionais receosos com as novas ferramentas e/ou que utilizam sistemas antiquados não são bem vistos pela maioria dos pacientes.

Isso porque a conectividade das pessoas mudou a forma de consumo da informação médica. Levantamento do Google mostra que as buscas referentes a hospitais e clínicas de saúde cresceram 25% nos primeiros quatro meses de 2015 na comparação com o mesmo período do ano anterior. Além disso, 39% da procura é realizada por dispositivos móveis e 99% dos usuários confessaram utilizar a Internet como fonte de pesquisa – bem à frente dos profissionais de saúde.

“Hoje em muitos casos o paciente vai para a consulta com um pré-diagnóstico após pesquisar sobre o tema. O médico precisa saber se relacionar com essa pessoa e isso inclui ter uma presença digital forte e eficaz, com sites e ferramentas que otimizam o relacionamento”, confirma Tiago Delgado, sócio-fundador da Medicina Direta.

A empresa nasceu justamente com a ideia de oferecer esses serviços para médicos e hospitais. Além de desenvolver um site já de acordo com as regras do Conselho Federal de Medicina (CFM) e voltado para os buscadores, a agência criou uma plataforma de prontuário eletrônico que melhora a gestão do consultório, realizando tarefas como preenchimento de fichas de convênios, recibos e até mesmo a realização de pagamentos na mesma lógica de um e-commerce.

Dessa forma, os profissionais da área médica conseguem simplificar a administração dos consultórios, deixando toda a parte burocrática com a solução, e podem focar no que realmente é mais importante: o bom atendimento ao paciente. O relacionamento com as pessoas é a principal ferramenta dos médicos para manter um bom número de clientes e passar pela crise econômica.

Estudo da Phillips apresentado no SXSW 2015 reforça esta tendência. Sete em cada dez pacientes preferem se comunicar com seus provedores de saúde via SMS, e-mail ou até por redes sociais do que ir pessoalmente até à clínica. Além disso, o uso de aparelhos conectados pode reduzir o tempo desperdiçado de sistemas ineficientes em até 50%.

“A Internet e sua influência na medicina é uma realidade para a grande maioria dos pacientes. Os médicos que desejam manter a qualidade no atendimento e ter destaque em sua comunidade precisam aderir à tecnologia o quanto antes e proporcionar uma melhor experiência ao seu público”, conclui Delgado

Sobre Medicina Direta:

Com o objetivo de ser o departamento digital de clínicas e consultórios médicos, a Medicina Direta surgiu em 2013 para oferecer infraestrutura tecnológica adequada e otimizar a gestão da saúde. A empresa disponibiliza o prontuário eletrônico, facilitando a coordenação de agenda, receituário, pagamento e demais processos que envolvem a rotina do profissional do setor. Além disso, a companhia desenvolve sites, gerencia e-mails e cria campanhas no Google Adwords. Para mais informações, acesse: http://www.medicinadireta.com.br

Tome cuidado com as dietas da moda.

Dieta da Sopa, dieta dos Sucos, da Lua, do Tipo Sanguíneo, do Dr. Atkins, de South Beach, da USP, do Atum… Você com certeza já deve ter ouvido falar ou até está tentado seguir alguma dessas dietas! São famosas e muito divulgadas por prometerem uma grande perda de peso em pouquíssimo tempo.
Os meios de comunicação de massa (principalmente a Internet) vêm contribuindo para o aparecimento de conceitos inadequados para a busca de um “corpo ideal”. Hoje em dia, muitas pessoas procuram seguir uma dieta de emagrecimento porque desejam uma aparência mais atraente. E esse apelo tem aumentado a veiculação de dietas impróprias e inadequadas do ponto de vista nutricional.
Essas dietas, apesar de proporcionarem um emagrecimento a curto prazo por restrição de calorias, elas dificilmente podem ser mantidas por um longo período de tempo. É aí que está o grande problema: não há uma reeducação alimentar. E sem a mudança de comportamento que a reeducação proporciona, fatalmente a pessoa recuperará o peso perdido podendo, inclusive, ganhar ainda mais! A seguir, falaremos sobre as principais dietas da moda e o que ela pode acarretar à sua saúde.

DIETA DO DR. ATKINS (DIETA DAS PROTEÍNAS) – Característica: propõe redução radical do consumo de carboidratos (massas, pães, doces, açúcares); libera o consumo de carnes (principalmente vermelha), ovos, maionese, manteiga, gorduras em geral; tem cerca de 1000kcal/dia, sendo que praticamente metade das calorias provém de gorduras.
Aspectos negativos: causa deficiências de vitaminas e minerais pela proibição do consumo de frutas e vegetais; a dieta tem baixa adesão, devido a sintomas como fraqueza, cansaço, dores de cabeça e mau hálito; a baixa ingestão de fibras pode ocasionar constipação; o excesso de gordura pode levar a problemas cardiovasculares; também pode ocorrer o surgimento de diabetes, pela menor sensibilidade dos tecidos à insulina e à hiperplasia das células b das ilhotas pancreáticas.

DIETA DE SOUTH BEACH – Característica: é uma variação mais amena da dieta do Dr. Atkins. Estimula o consumo de gorduras monoinsaturadas (ex: azeite de oliva, amendoim, nozes); permite comer carnes, queijos, frango sem pele, bacon com moderação; a partir da terceira semana, introduz frutas, leite desnatado e carboidratos integrais.
Aspectos negativos: apesar de ser uma das dietas que mais se equipara a uma dieta equilibrada, os aspectos negativos mostram-se semelhantes aos da dieta anterior. Os primeiros 15 dias são considerados “programas de jejum”, pois a dieta mostra-se extremamente proibitiva; podem ocorrer danos à saúde do ponto de vista clínico e nutricional; ocorrem perdas de água e sais minerais.

DIETA DO TIPO SANGUÍNEO – Característica: dieta criada por um médico americano chamado Peter James D’Adamo. Os alimentos são divididos em 3 categorias: benéfico, neutro e nocivo. As pessoas de sangue “O” seriam caçadoras carnívoras, as de sangue A seriam vegetarianas dóceis, sangue B seriam onívoros e sangue do tipo AB, uma junção das duas últimas.
Aspectos negativos: a dieta não possui comprovação científica quanto a sua eficácia; a dieta restringe grupos alimentares importantes que podem levar a sérias carências nutricionais; não determina quantidade de alimentos, não incentiva a alimentação saudável nem o acompanhamento com profissional; não é adaptada à cultura e realidade da população brasileira.

DIETA ORTOMOLECULAR – Característica: baseia-se nos princípios da medicina ortomolecular, a qual propõe que muitas doenças podem ser prevenidas ou tratadas através do equilíbrio químico. Estimula o uso de fórmulas de vitaminas, minerais, aminoácidos, pró-hormônios, etc.
Aspectos negativos: não existem evidências científicas que comprovem a eficácia da dieta; altas doses de vitaminas e minerais podem ser altamente tóxicas para o organismo e ocasionar diversas alterações metabólicas.

DIETA DA USP – Característica: apesar do nome, essa dieta não tem nenhuma relação com a Universidade de São Paulo. Seus criadores apenas se aproveitaram do nome para dar uma falsa credibilidade à dieta. Ela possui um cardápio padrão de uma semana, sendo repetida uma vez. Deve ser seguida rigorosamente em seus alimentos e horários. Utiliza principalmente carnes e ovos, e frutas e vegetais.
Aspectos negativos: não promove a reeducação alimentar; pode causar dores de cabeça, fraqueza e cansaço devido à restrição de carboidratos; baixa ingestão de vitaminas e minerais; eleva os riscos de doença cardiovascular.

DIETA DOS SUCOS – Características: consiste em beber exclusivamente sucos de frutas e hortaliças, podendo também acrescentar as frutas e hortaliças in natura.
Aspectos negativos: não existem evidência científicas que comprovem sua eficácia; a perda de peso que a dieta proporciona é devido à perda de massa muscular; não promove a reeducação alimentar e compromete a vida social da pessoa; baixo valor calórico e baixo teor de proteínas e gorduras, causando cansaço e indisposição, podendo levar o indivíduo à desnutrição energético-proteica.

DIETA DOS PONTOS – Característica: nessa dieta, a pessoa controla os pontos ao invés das calorias dos alimentos. Cada ponto corresponde a cerca de 3,6 calorias, baseado no seu valor nutricional. A pessoa deve anotar o que come durante o dia e fazer o somatório, que não deve passar de 300 para as mulheres e 400 pontos para os homens.
Aspectos negativos: a dieta focaliza apenas a quantidade de alimentos consumidos, sem incentivar uma alimentação nutricionalmente equilibrada. Dessa maneira, os pontos podem ser atingidos facilmente com alimentos calóricos, ricos em gordura e pobres em nutrientes; baixa adesão à dieta, pela necessidade de consultar a tabela, anotar rigorosamente tudo o que se ingere e calcular os pontos; a provável carência de nutrientes pode prejudicar a saúde e acarretar problemas como anemia, osteoporose, queda de cabelo, entre outros; não promove reeducação alimentar, sendo difícil manter o peso perdido.

É fato que todas essas dietas milagrosas não tem qualquer comprovação científica e, ao contrário do que prometem, podem acarretar problemas de saúde e até resultar em alguns quilinhos extras a longo prazo. É necessário a conscientização de que o emagrecimento acontece com mudanças de hábitos alimentares e de comportamento e que somente com uma avaliação nutricional completa e um acompanhamento por um profissional especializado, o processo de emagrecer e principalmente manter-se magro será saudável e terá sucesso.

As Unhas Refletem Doenças E Falta De Vitaminas No Seu Corpo

Para ter unhas bonitas e fortes é preciso, primeiramente, estar saudável, portanto, alimentar-se bem. Provavelmente já ouviu a frase ‘Você é o que você come’, eu diria que “Você é o que você come, absorve e utiliza”. Para ter uma boa absorção dos nutrientes, além de uma alimentação balanceada diariamente, é necessário estar em dia com alguns princípios básicos da fisiologia do corpo, como ter uma boa mastigação; uma produção ideal de enzimas digestivas, que é incomum em pessoas que têm como hábito beber líquidos com a refeição; deve-se comer um bom prato de salada todos os dias; ter um bom pH salivar, estomacal e intestinal, o que geralmente está alterado na presença de medicamentos, na ausência do hábito de consumir frutas diariamente, ou em patologias como gastrite e colite, entre outros fatores; e deve-se ter um intestino saudável. Os principais sintomas de desequilíbrios da flora intestinal são a constipação ou diarreia, espinhas, muita ‘fome de doce’, língua esbranquiçada, entre outros.

O que as unhas revelam

As unhas também refletem a saúde do corpo. Algumas deformações podem ser sinais de doenças ou falta de vitaminas.

– Unhas pálidas, sem cor: anemia, falta de ferro causada pela deficiência de vitamina C, A, E, complexo B e zinco. Neste caso, aumente o consumo de feijão branco, que é rico em ferro de boa absorção, e a inclusão de uma fruta rica em vitamina C, como a laranja (com bagaço), além de um bom prato de salada com azeite (vitamina E).

– Unhas ressecadas, que quebram com facilidade e descamam: falta de vitamina A, proteínas e cálcio; contato com produtos químicos diversos, além dos químicos encontrados em diversos alimentos industrializados. O consumo de refrigerantes favorece a perda óssea, além de conter diversos aditivos químicos. O excesso de café também favorece a excreção de cálcio.  Sugiro o aumento do consumo de alimentos ricos em cálcio, de boa biodisponibilidade, junto aos nutrientes que favorecem à entrada do cálcio no osso, como o brócolis e verduras de cor verde escura, sardinha, açaí e gergelim, por exemplo. Além disso, a exposição a luz solar é fonte de vitamina D, fundamental para equilíbrio ósseo.

– Unhas que não crescem: deficiência de vitamina A e zinco, uso de certos medicamentos ou problemas com saúde intestinal. Aumente o consumo de frutas e folhas verdes.

– Unhas muito finas e quebradiças: deficiências alimentares, doenças debilitantes. Comum em casos de síndrome de má-absorção, em que o problema, geralmente, é intestinal.

– Unhas com linhas horizontais e frágeis: falta de vitaminas do complexo B, algum desequilíbrio hormonal, sinal de intoxicação, traumas. O ideal é adotar princípios desintoxicantes, como a couve, o gengibre, e a casca de limão no suco, além de evitar alimentos ricos em corantes, conservantes e adoçantes. Atenção à intoxicação por consumo de alimentos quentes em recipientes de plástico, como por exemplo, o café em copo plástico.

– Unhas com manchas escuras e avermelhadas: pode ser trauma, pigmentação racial, envelhecimento precoce, por falta de antioxidantes na alimentação (presentes em frutas e verduras), excesso de açúcar, sal e gordura.

– Unhas arroxeadas, aumento da curvatura:  problemas circulatórios,  ou falta de antioxidantes na alimentação, além de excesso de açúcar, sal e gorduras.Sugiro alimentos como as castanhas, que contém arginina e melhoram a circulação.

– Unhas que soltam do leito, espessadas, com ceratose subungueal: psoríase ou intoxicação por medicamentos, infecções por fungos e problema com a flora intestinal e/ou hipersensibilidades alimentares. Inclua alimentos com poder antifúngico, como hortelã, própolis e semente de abóbora.

Para maiores informações, consulte o seu nutricionista.

Fonte:  ANutricionista.Com – Daniela Mendes Tobaja – CRN3 27602 –Nutricionista em Piracicaba.

Estilo de vida Saudável na Praia

Os dias de praia normalmente são longos e cansativos, mesmo quando passamos a maior parte do tempo sentados ou deitados confortavelmente. A não ser que se mantenha ativo e pratique alguma atividade física na praia, acabamos por não gastar muito mais calorias do que um dia normal.

Mesmo estando em período de férias e em tempo de praia, é possível ter uma alimentação saudável, manter-se ativo e fugir das tentações (Frituras em geral, sorvetes, doces, bolachas).

Para isso leve sempre uma geladeira, ou mesmo uma lancheira consigo, de forma a garantir que tenha alimentos saudáveis e se mantenha saciado ao longo do dia (o que vai ajudar a não cometer excessos e a resistir a alimentos menos saudáveis que nos são oferecidos na praia), e pratique atividade física na praia.

O que podemos levar na lancheira?

Para os snacks: 
 
-Frutas (opte por frutas ricas em água como a melancia, melão, pêssego, abacaxi, morangos. Maçã, pêra, kiwi, laranja também são boas opções)
frutas-no-tupperware-pedacos-de-frutas
-Vegetais crus (cenoura, pepino, aipo, rabanete, tomate)
healthy-snacks
-Chips de vegetais
maxresdefault
-Oleaginosas (como amêndoas, nozes ou cajus)

Assorted nuts (almonds, filberts, walnuts, cashews), close-up

Para o almoço:
Opte por levar uma salada, tortilha ou wrap ( feito com folhas de alface) ou sanduíches, mas preferencialmente sem pão.
Para beber deve optar por água, mas também pode levar bebida de frutas ou água de coco.
Como posso manter-me ativo na praia?

– Pode fazer caminhadas (ou correr) em vez de passar o dia todo sentado ou deitado na toalha;
– Quando for à água aproveite para nadar;
– Pode jogar volleyball ou futebol, fazer surf, stand up paddle;
– Pode fazer um circuito com exercícios como agachamentos, flexões ou abdominais, já que não exigem nenhum tipo de material;
– Se tiver um barco insuflável pode aproveitar para remar;
– De manhã ou ao final do dia pode fazer yoga…

São apenas algumas sugestões, existem inúmeras atividades que pode fazer na praia. O importante é que se mantenha ativo, divirta-se, tenha uma alimentação saudável mas aproveite também para descansar e sair da rotina

ativ.praia

NOTA: Evite praticar exercício e evite a exposição direta ao sol nas horas de maior calor, ou seja entre as 11h e as 17.