Pular para o conteúdo

Sete exemplos de como a tecnologia pode facilitar a vida do médico

Quando se fala em tecnologia na área médica, logo vem à mente das pessoas as modernas máquinas de cirurgias e diagnósticos. De fato, elas ajudaram a aumentar a expectativa de vida da população mundial nas últimas décadas.

Porém, as soluções tecnológicas para profissionais de saúde não se restringem apenas ao tratamento de pacientes. Existem ferramentas que conseguem otimizar e automatizar a gestão de clínicas e consultórios, deixando o médico livre para fazer aquilo que mais sabe: cuidar das pessoas. Confira sete exemplos de como a tecnologia facilita a medicina em sua parte administrativa:

Informação unificada – com softwares de gestão, é possível reunir em uma única plataforma todas as informações úteis para a clínica, como o histórico de paciente, exames realizados, movimentação financeira, entre outros pontos. A medida agiliza o atendimento e melhora a prestação do serviço.

Prontuário Eletrônico – este recurso simplificou a gestão da saúde. Agora, os profissionais da área não perdem tempo no preenchimento de receitas, exames de pacientes, recibos e quaisquer documentos inerentes ao funcionamento do consultório. Resumindo: grande parte dos processos burocráticos pode ser automatizado.

Gerenciamento de e-mail e agenda – a integração da agenda com a caixa de e-mail do médico possibilita estreitar o relacionamento com os pacientes. O recurso permite enviar desde mensagens de confirmação de consulta até mesmo um e-mail marketing para ocasiões especiais, como aniversário.

Preenchimento de convênios – preencher os documentos das operadoras de planos de saúde era um dos pontos mais complexos da gestão de clínicas. Qualquer informação errada pode fazer com que o convênio não repasse o valor da consulta ao médico. Agora, existem softwares que automatizam esse processo, desburocratizando e reduzindo a chance de erro.

Presença digital – montar um site e expor na web os seus serviços não é exclusivo apenas de empresas do setor de comércio. Atualmente, os médicos podem – e devem – ter uma página de seu consultório na Internet para atraírem novos pacientes e, até mesmo, disponibilizar um agendamento online.

Acesso na palma da mão – antes, em caso de emergência, o médico precisa se deslocar até seu consultório para conferir o histórico de um paciente. Hoje a situação mudou: é possível acessar todos os dados de um simples aplicativo no smartphone.

Visibilidade em portais de busca – a tecnologia amplia o alcance do médico por conta das plataformas de busca. Páginas como o Google se tornaram a porta de entrada dos pacientes mais jovens na hora de pesquisar consultórios. Investir em Adwords e SEO faz com que o profissional apareça nas primeiras posições desse ranking e, assim, conquiste a atenção dos usuários.

Gostaria de reveber novidades?
Post's mais acessados
Como as incertezas da LGPD impactam o consultório médico?
Consultório / Prontuário Eletrônico / Publicações Medicina Direta

Como as incertezas da LGPD impactam o consultório médico?

O mês de agosto marca o aniversário de dois anos de um tema que circunda diferentes setores, preocupando empresas e profissionais e exigindo uma maior maturidade em relação ao ambiente digital. A Lei 13.709/18, popularmente conhecida como LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais) traz novas regras e normas sobre o uso de dados […]

Leia Mais
Telemedicina exige adequação do consultório – e do médico – à tecnologia
Consultório / Prontuário Eletrônico / Publicações Medicina Direta

Telemedicina exige adequação do consultório – e do médico – à tecnologia

A pandemia de COVID-19 trouxe novos hábitos às pessoas. Hoje, com o necessário isolamento social, simples atitudes como consumir produtos ou serviços e se relacionar com amigos e familiares são feitas no ambiente on-line graças às ferramentas de tecnologia. O mesmo acontece na área da saúde. Enquanto grande parte de médicos e enfermeiras atua na […]

Leia Mais
Telemedicina: o que pode e o que não pode no Brasil
Consultório / Prontuário Eletrônico / Publicações Medicina Direta

Telemedicina: o que pode e o que não pode no Brasil

A pandemia de COVID-19 fez o Brasil dar um passo importante na digitalização de consultórios, clínicas e hospitais. A Telemedicina, isto é, o atendimento remoto de pacientes, foi liberada em caráter temporário e excepcional pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) para que médicos possam manter os atendimentos e consultas normalmente durante o período de distanciamento […]

Leia Mais
Gostou?
Vamos conversar.

Solicite uma demonstração e iremos mostrar o sistema que transformará a qualidade de atendimento e gestão de sua clínica.