Pular para o conteúdo

Marketing de conteúdo: saiba porque seu consultório deve fazer

O surgimento da Internet e das mídias sociais reformulou a forma como as pessoas se relacionam e adquirem conhecimento – com a medicina não foi diferente. Por mais que a web não substitua o atendimento especializado de um médico, é inevitável fazermos uma pesquisa rápida sobre os sintomas antes de cada consulta. É um hábito comum para nove em cada dez brasileiros, de acordo com dados do Health Report, realizado pelo portal Minha Vida. Dessa forma, mais do que impedir, é essencial que os profissionais de saúde marquem presença no ambiente online para garantirem a propagação de informações adequadas e, principalmente, atraírem novos pacientes. A melhor tática para isso é o marketing de conteúdo. Confira cinco motivos para seu consultório investir neste conceito:

1 – Garanta visibilidade orgânica em portais de busca

Não basta simplesmente ter um site; é preciso garantir que ele esteja visível ao público-alvo. Logo, é necessário estar nas primeiras posições das páginas de busca na Internet. A melhor forma de conseguir isso de forma orgânica é oferecer conteúdos que interessem às pessoas. Artigos assinados pelo médico, posts em blogs que tiram dúvidas sobre doenças e tratamentos, vídeos com informações adicionais e infográficos são exemplos de materiais que chamam a atenção dos pacientes e alçam sua marca no topo da página.

2 – Ofereça informações em conformidade com normas técnicas

O conceito também auxilia o consultório a seguir as normas técnicas. Isso porque a publicidade médica, mesmo em sites, blogs e redes sociais, precisa seguir estritas recomendações do Conselho Federal de Medicina (CFM) e da Comissão de Divulgação de Assuntos Médicos (Codame). O médico não pode, por exemplo, insinuar garantia de resultado em tratamentos em toda sua comunicação. Entretanto, diferentemente da propaganda (que tenta vender um produto e serviço de forma direta), o marketing de conteúdo trabalha com assuntos e temas em diferentes pontos da jornada do usuário – e que não necessariamente estejam ligados a sua especialidade médica.

3 – Estreite o relacionamento com seu público

Com os dados obtidos em sua plataforma de prontuário eletrônico, é possível traçar estratégias e definir conteúdos que ajudem a estreitar o relacionamento do consultório com seus pacientes. Afinal, os materiais oferecidos são produzidos justamente para parecerem sob medida para cada usuário. Dessa forma, quando o interessado finalmente marcar uma consulta (ou realizar o retorno), ele terá mais informações em mãos e terá mais confiança em seu diagnóstico, aumentando a chance de sucesso do tratamento.

4 – Tenha um ótimo retorno com baixo investimento

É possível deixar sua marca bem posicionada nos portais de busca com os Links Patrocinados e criar diversos anúncios digitais, mas essas estratégias demandam um alto investimento – e o retorno pode nem ser tão vantajoso. Já as principais ferramentas de marketing de conteúdo, como blogs e redes sociais, são gratuitas e o custo total é bem menor – potencializando o ROI (retorno sobre investimento) do consultório.

5 – Combata as fake news

Vivemos em uma época em que os boatos e notícias falsas conseguem circular de forma muito mais rápida e eficiente do que as informações verdadeiras. Isso é um perigo quando falamos de medicina, pois um dado equivocado ou uma notícia errada pode ocasionar uma tragédia gigantesca no país. Como citado, a Internet é a primeira fonte de pesquisa para uma pessoa antes de marcar a consulta. Assim, os médicos e profissionais da saúde que investem em marketing de conteúdo ajudam a educar a população e combatem esse problema.

Gostaria de reveber novidades?
Post's mais acessados
Como as incertezas da LGPD impactam o consultório médico?
Consultório / Prontuário Eletrônico / Publicações Medicina Direta

Como as incertezas da LGPD impactam o consultório médico?

O mês de agosto marca o aniversário de dois anos de um tema que circunda diferentes setores, preocupando empresas e profissionais e exigindo uma maior maturidade em relação ao ambiente digital. A Lei 13.709/18, popularmente conhecida como LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais) traz novas regras e normas sobre o uso de dados […]

Leia Mais
Telemedicina exige adequação do consultório – e do médico – à tecnologia
Consultório / Prontuário Eletrônico / Publicações Medicina Direta

Telemedicina exige adequação do consultório – e do médico – à tecnologia

A pandemia de COVID-19 trouxe novos hábitos às pessoas. Hoje, com o necessário isolamento social, simples atitudes como consumir produtos ou serviços e se relacionar com amigos e familiares são feitas no ambiente on-line graças às ferramentas de tecnologia. O mesmo acontece na área da saúde. Enquanto grande parte de médicos e enfermeiras atua na […]

Leia Mais
Telemedicina: o que pode e o que não pode no Brasil
Consultório / Prontuário Eletrônico / Publicações Medicina Direta

Telemedicina: o que pode e o que não pode no Brasil

A pandemia de COVID-19 fez o Brasil dar um passo importante na digitalização de consultórios, clínicas e hospitais. A Telemedicina, isto é, o atendimento remoto de pacientes, foi liberada em caráter temporário e excepcional pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) para que médicos possam manter os atendimentos e consultas normalmente durante o período de distanciamento […]

Leia Mais
Gostou?
Vamos conversar.

Solicite uma demonstração e iremos mostrar o sistema que transformará a qualidade de atendimento e gestão de sua clínica.