Atualize seu consultório e aumente o potencial de retorno em 2019

A virada do ano é uma época propícia para pessoas e empresas estipularem novas metas, sonhos e objetivos a serem cumpridos neste novo ciclo do calendário. As listas de desejos já fazem parte do imaginário popular, mas elas são eficazes por possibilitar a criação de um planejamento para cumpri-las. Na área da saúde não é diferente. O início de um novo ano é o momento ideal para rever alguns conceitos e testar novos procedimentos nas clínicas e consultórios.

Para isso, a recomendação é buscar uma atualização do local, investindo em novas tecnologias e, principalmente, em novos conceitos que coloquem o serviço realizado pelo médico alinhado às expectativas de seus próprios pacientes. Hoje, o perfil das pessoas que procuram médicos mudou – e é hora desses profissionais também se adaptarem aos novos tempos. Confira quatro dicas para aumentar o potencial do consultório em 2019:

1 – Atualize o software de sua clínica

Hoje, é inadmissível visualizar um consultório sem um prontuário eletrônico para auxiliar os profissionais no dia a dia. Essa ferramenta traz mais controle e segurança aos processos médicos, ao mesmo tempo em que melhora a qualidade do atendimento ao paciente. Contudo, como toda tecnologia, há uma evolução constante na solução, com novos recursos disponíveis. Aproveite o início de 2019 para atualizar o software de sua clínica. Hoje, há empresas que desenvolvem prontuários que permitem a digitalização completa dos documentos e realizam até mesmo a gestão financeira do local.

2 – Tenha um website para seu consultório

Mais da metade das famílias brasileiras possuem acesso à Internet, segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Dessa forma, torna-se essencial que o consultório esteja presente na web e fique disponível a seu público-alvo. Contudo, não basta apenas criar um site e deixá-lo parado. Conceitos como SEO e navegação responsiva devem ser aplicados na página e seu conteúdo precisa seguir à risca as recomendações do CFM (Conselho Federal de Medicina) e da Codame (Comissão de Divulgação de Assuntos Médicos).

3 – Substitua todo o papel

Documentos em papel sempre são um risco: a pessoa pode rasga-los, danificá-los ou simplesmente perde-los. Hoje, grande parte das pessoas preferem lidar com informações digitais em seus smartphones. Mostre que sua clínica está alinhada com os recursos tecnológicos e promova a digitalização integral de todos os processos em 2019. Para eliminar o papel, o local precisa utilizar prontuários eletrônicos que atendam aos requisitos da Certificação SBIS-CFM, com Nível de Garantia de Segurança 2 (NGS-2), de acordo com a resolução 1821/07 do CFM.

4 – Utilize certificado digital em seus processos

Prontuários eletrônicos com certificação NGS-2 permitem a integração do sistema com o certificado digital, um recurso essencial para a área médica. Ele é crucial para a eliminação do papel, seu uso traz mais segurança aos profissionais de saúde, pois garante a autenticidade dos dados inseridos no sistema, oferece uma maior mobilidade, pois documentos podem ser “assinados” por dispositivos móveis e facilita a gestão do consultório como um todo, automatizando processos e arquivando digitalmente todos os dados necessários com total segurança.

*Conteúdo desenvolvido pela equipe da Medicina Direta  

Utilize a tecnologia em seu consultório: aproveite todos os recursos de um prontuário eletrônico a seu favor

Um bom sistema de prontuário eletrônico não constrói clínicas de sucesso, ele apenas as revelam. Tanto que computadores e prontuários eletrônicos já fazem parte do ambiente de trabalho em consultórios. Contudo, poucos médicos utilizam esses recursos com frequência para otimizar e melhorar seu trabalho. Dados da Pesquisa TIC Saúde indicam que 61% dos profissionais de saúde utilizam o computador durante a consulta, mas esse número cai para 50% quando perguntado se eles utilizam para além do atendimento. Ou seja, metade abre mão destas tecnologias em sua gestão.

É um desperdício utilizar o prontuário eletrônico “apenas” para armazenar dados cadastrais ou, no máximo, arquivar o histórico clínico. Na verdade, são apenas os dois primeiros passos. Com uma solução na nuvem e as informações disponíveis em qualquer local, é possível aproveitar este serviço em outras áreas, permitindo que o profissional de saúde tenha tempo para se dedicar ao que realmente importa: o atendimento com qualidade de seus pacientes.

Confira alguns pontos que impactam diretamente a eficiência de uma clínica:

Agenda inteligente: com os dados de cadastro e contato da pessoa, é possível automatizar o processo de agendamento de consultas. O prontuário eletrônico pode se integrar ao site e à caixa de e-mail da clínica, permitindo que a pessoa agende um horário de forma online e que um e-mail seja enviado de maneira automatizada pelo sistema para confirmar para o paciente o horário e o endereço agendado.

Gestão financeira completa: os médicos ainda costumam realizar a gestão de suas receitas de forma manual ou, no máximo, com a ajuda de uma planilha simples no computador. Um bom prontuário eletrônico consegue automatizar essa dinâmica e, além disso, ajuda no preenchimento dos documentos das operadoras de planos de saúde, diminuindo a chance de erro e garantindo o pagamento.

Eliminação do papel: a solução também pode substituir e eliminar os documentos em papel no consultório. De acordo com a resolução 1821/07 do CFM (Conselho Federal de Medicina, apenas prontuários que atendam aos requisitos da Certificação SBIS-CFM, com Nível de Garantia de Segurança 2 (NGS-2), podem substituir o papel na área médica – justamente a categoria que permite a integração com certificado digital. Assim, todos os documentos podem ser registrados, assinados e armazenados no meio eletrônico.

Mobilidade: se o prontuário eletrônico estiver hospedado na nuvem, ele pode ser acessado por qualquer dispositivo com acesso à Internet. Isso permite que o médico possa ver o histórico de um paciente, o receituário, dados financeiros, entre outros, enquanto está viajando ou participando de um congresso, por exemplo.

Segurança dos dados dos pacientes: deixar o histórico do paciente em arquivos físicos não é o meio mais seguro de preservá-los. Além da nuvem, o prontuário eletrônico que atende os requisitos exigidos pelo CFM consegue garantir a segurança da informação no mundo digital graças à organização e disposição dos dados, além de eliminar falhas na comunicação devido a problemas na caligrafia dos profissionais.

O uso do prontuário eletrônico em clínicas e consultórios realmente veio para ficar.7